Como falar com persuasão

Olá, Speaker!

Desde eventos cotidianos, até reuniões, apresentações de trabalho e situações de liderança, todos recorrem à persuasão.

A palavra tem sua origem no latim “persuadere” que significa “levar a crer” e que se refere ao poder de influência e capacidade de convencer que alguém possui sobre outra pessoa ou um grupo de pessoas.

Essa competência se desenvolve em cada um de maneiras diferentes. Logo, esta habilidade se relaciona com as nossas mais variadas experiências de vida.

Sendo assim, para quem domina a arte da oratória, isso é expresso naturalmente, porém quando uma pessoa não desenvolve essa qualidade com eficiência, técnicas e métodos de construção da expressão podem ser aprendidos e desenvolvidos para melhorar a persuasão na comunicação.

É extremamente relevante a compreensão de que a persuasão é um veículo para fazer o bem, para elevar, induzindo, influenciando e convencendo pessoas, seja de forma verbal ou não verbal, pautada em princípios éticos. E isso passa longe de manipulação.

Veja bem, speaker, quando a persuasão é utilizada, é para convidar alguém a ver uma determinada situação ou ação sob outra perspectiva, que pode ser uma solução melhor e mais benéfica.

O que a persuasão representa na vida social e profissional?

Construir relações que beneficiam todos os envolvidos é a chave para uma argumentação persuasiva, portanto, desenvolver a persuasão dá o poder de criar melhores oportunidades, seja na vida social quanto na vida profissional.

No setor empresarial e de negócios, representa um diferencial valioso e competitivo no mercado de trabalho, pois esta é uma característica imprescindível para cargos que envolvam negociação, vendas, apresentações, liderança, atendimento e muitas outras.

Princípios da persuasão

Pesquisas realizadas na área da comunicação apontaram para alguns princípios e definiram a reciprocidade, a escassez, a autoridade, o compromisso, a coerência, a afeição e a aprovação social, como sendo princípios primordiais para desenvolver a persuasão.

Habilidades pessoais, práticas e psicológicas se englobam num conjunto de técnicas durante o aprendizado e desenvolvimento da persuasão.

De um modo geral é indispensável que se trabalhe a capacidade de atenção e escuta, que se reconheçam as necessidades, que sejam transmitidos credibilidade, argumentos seguros e informações sólidas e que seja demonstrado comprometimento, tudo isso somado a uma comunicação segura, clara e objetiva.

Potencial persuasivo x empatia

A empatia é fundamental no processo de uma comunicação persuasiva, então encontrar um ponto em comum entre você e o outro lado cria um relacionamento que abre portas para fortalecer seus argumentos.

Para tal é preciso estar bastante preparado sobre o objetivo que se pretende alcançar, afinal as pessoas tendem a ser mais analíticas e consistentes em suas decisões nas relações de negócios.

A prova social é um recurso utilizado quando a opinião e argumento de outras pessoas é usado para reforçar que a solução apresentada por você é a certa a ser seguida, e desta forma agregar opiniões de outros clientes, ou colaboradores pode contribuir com resultados sólidos e duradouros.

Existe um conceito na área de comunicação sobre persuasão que pode ser definido por uma máxima que diz: “decidimos o que é correto descobrindo o que as outras pessoas acham que é correto”.  

Isso esclarece que o locutor, para ser persuasivo, precisa encontrar pontos que amarrem a lógica racional ou emocional daquelas que quer persuadir com a ideia, motivando-o então a concordar com o que está sendo proposto.

Segurança e preparo na comunicação

Preparo mental, emocional e linguagem corporal definem a qualidade no de comunicar. Abordando a perspectiva da persuasão é necessário que haja inteligência emocional para gerir e elaborar os discursos convincentes.

Através desta habilidade, se torna mais fácil a percepção e entendimento das necessidades do outro, e isso facilitará a criação de um discurso convincente, sabendo a entonação mais adequada e a maneira como irá abordar.

Não somente o que se diz, mas o modo como se gesticula e move o corpo, imapcta a mensagem que está sendo transmitida.

A linguagem corporal é parte integrante para o sucesso na comunicação persuasiva, desde as expressões faciais até gestos com as mãos.

O tom, o ritmo, a velocidade e a clareza da fala estão interligadas quando se quer obter sucesso num discurso persuasivo, então entre as frases mais estratégicas, é orientado que se inclua pausas, que são espaços de tempo para que o receptor pense e reflita.  

Outra técnica utilizada é aumentar um pouco o tom de voz para enfatizar palavras importantes.

Demonstrar flexibilidade, abertura a ouvir opiniões, abertura na conversa podem ser recursos importantes ao mostrar uma proposta.

Treine bastante e saiba quando parar

A insistência tende a ser desagradável e incômoda, por isso, não é um recurso utilizado quando se quer ter sucesso numa comunicação persuasiva. 

A persuasão tem a ver com sutileza e com abordagens calmas e confiantes e passa longe da mera insistência e repetição.

Para conquistar tal habilidade, o treinamento é importante. Investir energia em praticar, buscar conhecimento e imersões em oratória são ações que levarão à melhora da comunicação e da persuasão.

Conclusão

Conquistar sua melhor expressão significa também estar em dia com a arte da persuasão, recurso valiosíssimo no mundo corporativo e na vida em geral.

A comunicação assertiva é ferramenta para sucesso em todos os campos da vida, e possuir técnicas que valorizem a transmissão de informação é o caminho certo para quem quer se desenvolver social e profissionalmente. E a persuasão compõe este quadro com posição de destaque.

Quando tal habilidade não é natural, treinamento e polimento podem ser realizados para alavancar essa característica que todos podem desenvolver.

Para tanto, profissionais especializados em comunicação de qualidade e cursos de oratórias devem ser considerados para realizar o treinamento, orientação e educação sobre as diversas facetas da arte de se comunicar.