Concurso de oratória: o que é e como se preparar?

Olá, Speaker!

A oratória está diretamente ligada a aspectos culturais: costumes que influenciam no quanto nos dedicamos à habilidade de falar em público, seja presencialmente ou de forma online.

Os concursos de oratória são um bom exemplo quanto a isso: nos Estados Unidos, eles são muito comuns. Inclusive, as crianças já são preparadas, desde muito novas, para esse tipo de concurso.

Aqui no Brasil, os concursos de oratória têm se tornado mais recorrentes nos últimos anos. Mais recorrentes e mais relevantes, diga-se de passagem. É por isso que, na nossa conversa de hoje, vou falar sobre eles. Confira!

Concurso de oratória: o que é?

Pense em outros concursos que você conhece: candidatos que passam por algumas provas e etapas para, ao final, serem escolhidos (ou não) como os melhores em algo. Os concursos de oratória também são assim!

Os candidatos são avaliados pelas suas habilidades ligadas à comunicação, por exemplo:

– A clareza ao organizar o raciocínio

– O quão impactante é a fala

– A capacidade de dar energia à voz

– Os aspectos ligados à linguagem não-verbal, como gestos, postura e expressões faciais

– A capacidade de contar uma boa história

Essas e outras competências são avaliadas em concursos de oratória, que são organizados por instituições públicas e particulares com o intuito de fomentar o “falar em público”, uma das habilidades mais relevantes atualmente.

Ganha o concurso aquele que for melhor avaliado nas categorias. Há premiações, cursos prévios e outros itens, que dependem de como é o concurso e por qual instituição é organizado.

Tradição da oratória nos Estados Unidos: quais as diferenças?

Os Estados Unidos têm uma relação muito diferente com a oratória, quando comparamos aspectos culturais norte-americanos e brasileiros. De forma geral, essa habilidade está mais enraizada nos Estados Unidos do que aqui.

Tanto é assim que os concursos de oratória são muito mais comuns por lá. Sem falar, ainda, que jovens e crianças são preparados para falar em público desde muito novos, encorajados, inclusive, a participarem desses concursos.

Um dos maiores impactos dessas diferenças está no medo de falar em público. Aqui no Brasil, esse é um dos medos mais comuns e a razão é justamente essa: não somos preparados para desenvolver essa habilidade.

E, do despreparo, vem o medo à exposição, à falha. Nos Estados Unidos, os habituais discursos acontecem nas mais diversas situações e acabam se tornando parte do dia a dia das pessoas, diminuindo o medo de encarar situações de exposição de fala.

Oratória no Brasil: o que mudou nos últimos tempos?

Apesar de tudo o que eu contei até aqui, é importante destacar que a relação entre os brasileiros e a oratória vem mudando nos últimos anos. Antes, havia uma crença de que apenas algumas profissões precisavam dessa habilidade. Hoje, não.

Já se sabe que, para crescer profissionalmente, saber falar bem em público é primordial, assim como conseguir se expressar com clareza no dia a dia e em outras situações de exposição.

Uma das provas práticas dessa mudança é o aumento significativo da procura por cursos e treinamentos em oratória. Além dela, a busca por “falar em público” na web também vem crescendo dia após dia.

Os profissionais perceberam que não adianta ser muito bom em algo: é indispensável saber falar sobre isso! É a valorização das chamadas soft skills, competências que vão além dos saberes técnicos.

Como a The Speaker está posicionada neste cenário?

Aqui na The Speaker, estamos sempre ligados às mudanças relacionadas à comunicação, dentro e fora do Brasil. É desse modo que nos preparamos, nos adiantamos e ficamos prontos para ajudar as pessoas a se comunicarem bem.

Há um ano, quando diversos profissionais se viram, pela primeira vez, com a necessidade de se comunicar através da internet, nós já sabíamos da enorme relevância da comunicação digital.

Entender que a comunicação não é estática, isto é, que ela muda e se adapta às transformações que vemos no mundo, é primordial. Aliada a isso, está a nossa genuína paixão por essa habilidade e por gerar impactos positivos.

É por isso que somos nós os responsáveis por treinar alguns dos maiores líderes do Brasil: Gustavo Montezano, presidente do BNDES; Cesario Nakamura, CEO da Alelo; Sergio Machado, do BNP Paribas; Mauro Aguiar, presidente do Colégio Bandeirantes; e tanto outros.

Quanto aos concursos de oratória especificamente, nós preparamos nossos clientes para eles e para quaisquer outras situações de exposição de fala:

– Apresentações em público (online ou presenciais)

– Entrevistas

– Gravações de vídeo

– Eventos online ou presenciais

– PITCHs e reuniões

– Comunicação interna

E tantas outras!

Seja para se sair bem em concursos ou outros momentos, é fundamental se desligar dos mitos que ainda são relacionados erroneamente à oratória. Quais são eles? Veja a seguir!

Principais mitos da oratória: será que você ainda acredita em algum?

Pensemos, uma vez mais, nas diferenças culturais entre Estados Unidos e Brasil. Além da relevância dos concursos de oratória em um país e em outro, há, também, os mitos enraizados culturalmente. São eles:

– Pensar que oratória é dom: o “dom da palavra” ou a “arte do falar bem” são frases que, infelizmente, ainda escutamos por aqui. Mas isso não passa de um mito: todos (sim, todos) podem desenvolver uma comunicação de alto impacto.

– Acreditar que só alguns cargos e profissões dependem de uma boa oratória: já falei disso por aqui, não é? A ideia de que apenas alguns profissionais necessitam aprimorar suas habilidades de oratória é um grande mito.

– É impossível superar o medo de falar em público: todos os medos podem ser superados. Com a glossofobia, ou seja, o medo de falar em público, isso não é diferente. O caminho? Preparo e orientação de profissionais especializados.

Como se preparar para um concurso de oratória?

Se você fizer uma rápida busca na web, verá alguns dos maiores concursos de oratória aqui no Brasil: seus regulamentos, prêmios, frequência e outras características. Seja qual for o concurso, é indispensável se preparar previamente. Como?

Desenvolvendo os três pilares essenciais da comunicação:

– A mensagem (o conteúdo, a fala)

– A expressão vocal

– A expressão corporal

Nessa jornada, um treinamento em oratória será determinante. Afinal, nele, você terá o acompanhamento de especialistas e um feedback sobre a SUA comunicação e SUAS demandas específicas.

Para conhecer nossas soluções, entre em contato comigo ou com a minha equipe! Te espero, Speaker!

Clique para dar sua nota!
Avaliações: 0 - Avaliação média: 0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *