Como usar o humor nos discursos?

Olá, Speakers!

O assunto da nossa conversa de hoje está muito em alta no Brasil: o humor. Por muito tempo, o humor foi utilizado como uma ferramenta comunicacional, capaz de transmitir determinadas mensagens de uma forma mais atrativa que a convencional.

Ao longo da história, o humor cumpriu muitas funções. Em épocas de censura à imprensa, por exemplo, era através do humor que alguns intelectuais conseguiam expor suas opiniões, sem serem repreendidos por isso.

Com o boom dos chamados “influenciadores digitais”, o humor voltou a ter um lugar de destaque na mídia brasileira e é, hoje, o mecanismo que muitas pessoas utilizam para conseguir seguidores e likes em suas redes sociais.

E nas apresentações em público, qual é o papel do humor? É possível utilizar essa estratégia em qualquer tipo de discurso?

Humor e oratória: essa é uma combinação possível?

Se você for a uma escola tradicional de oratória, é muito provável que o assunto “humor” nem seja abordado pelos professores. Isso acontece porque, antes, as apresentações em público tinham outro tipo de características, marcadas pela seriedade e alto grau de formalidade.

Definitivamente, a The Speaker não é uma dessas escolas convencionais de oratória. Ao contrário de defender apresentações em público nas quais o comunicador aparece atrás de um púlpito, com roupas formais e praticamente com a mesma expressão facial durante todo o discurso, nós acreditamos em outro tipo de comunicação, mais moderna e espontânea.

Sendo assim, consideramos que o humor é, sim, uma excelente estratégia comunicacional. No entanto, é preciso saber utilizá-lo.

Como o humor pode impulsionar uma apresentação em público?

Um dos grandes desafios de todo comunicador é reter a atenção do seu público. Hoje, quando o acesso à informação é praticamente ilimitado, encontrar uma forma interessante de transmitir um conteúdo é primordial e uma dessas ferramentas é o uso do humor.

Quando bem utilizado, o humor ajuda a prender a atenção do público, a cativar as pessoas da plateia, gerando empatia e despertando o interesse em relação ao conteúdo a ser transmitido. Uma apresentação monótona é pouco eficaz e o humor consegue romper essa barreira, impulsionando a performance do comunicador.

Se vocês já foram a uma apresentação na qual o comunicador conseguiu utilizar o humor adequadamente, provavelmente conseguem entender claramente o que estou dizendo. Uma exposição bem-humorada é muito mais agradável de se assistir e o tempo parece passar até mais rápido quando temos a oportunidade de estar em apresentações assim.

Como usar o humor nos discursos?

Já sabemos que o humor pode ser um excelente mecanismo, mas, afinal, como essa estratégia deve ser utilizada? Bem, Speakers, costumo dizer para os meus clientes que a regrinha básica para o uso do humor é: utilize com moderação e bom senso.

O uso do humor depende muito de vários aspectos, como, por exemplo, o tema da sua apresentação e o perfil do seu público. Se você trabalha na área da saúde, por exemplo, e fará uma apresentação sobre um assunto complexo, como uma doença, provavelmente o uso do humor não será uma boa ideia. Ainda assim, são muitas as possibilidades e grande parte dos assuntos permite uma apresentação bem-humorada.

Outro aspecto fundamental é ter em mente que, quando subimos num palco, continuamos sendo a mesma pessoa, com as mesmas características e a mesma personalidade. Pode parecer óbvio, mas nem todo mundo entende a importância disso. Alguns comunicadores tentam ser o que não são e acabam se tornando personagens pouco originais e autênticos.

Dessa forma, antes de pensar em utilizar o humor nas suas apresentações, reflita sobre as suas próprias características. Você é uma pessoa bem-humorada no seu dia a dia? Nos encontros com seus amigos, você conta histórias engraçadas e/ou é bem-humorado? Se a resposta for “não”, o melhor a fazer é não insistir em usar o humor nas suas apresentações e encontrar outras formas de reter a atenção do seu público.

Mas se você é percebido como uma pessoa bem-humorada e se sente capaz de usar o humor, arrisque-se. Se tomar essa decisão, não se esqueça de que existem momentos chaves onde você pode usar o humor. Normalmente, durante a introdução e/ou a conclusão da sua fala.

É fundamental pensar, ainda, no tipo de humor que você utilizará. Nunca é demais ressaltar que piadas preconceituosas são completamente inapropriadas e que o humor inteligente é sempre a melhor opção.

Precisa de ajuda para aprimorar sua oratória e dar um up em suas apresentações? Fale com a gente e aprenda a utilizar o humor (e outras estratégias) durante exposições orais!

Avalie este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bitnami