Como aprimorar a oratória para ter mais sucesso em entrevistas?

Olá, meus caros Speakers! Tudo bem com vocês?

Participar de entrevistas é algo que a maioria de nós já fez, não é verdade?

A situação mais comum é a entrevista de emprego, durante processos seletivos para ocupar alguma vaga de trabalho.

No entanto, além das famosas (e temidas) entrevistas de emprego, cresce a necessidade de sabermos nos expressar bem em outros tipos de entrevista, seja durante reuniões com clientes, investidores e membros de outras empresas ou mesmo entrevistas à mídia, por algum motivo.

Como aprimorar a sua oratória ajuda a ter mais sucesso em entrevistas? Quais técnicas são imprescindíveis para esse tipo específico de situação de exposição de fala? Confira essas respostas – e outras informações – nesse artigo!

A oratória na entrevista de emprego: por que ela é tão importante?

Até uns anos atrás, a forma mais comum de selecionar um novo colaborador para uma empresa era através do currículo. Às vezes, era solicitada uma carta, na qual o candidato deveria responder os motivos pelos quais se interessa pelo posto de trabalho ao que aspira.

Hoje? O currículo ainda continua sendo solicitado, é verdade, mas o momento crucial dos processos seletivos passou a ser a entrevista. Nesse curto período de tempo, o candidato deve explicar suas qualificações, contar um pouco da sua trajetória e até dos seus gostos pessoais, como hobbies ou leituras.

Para resumir: na entrevista, o que conta é, sobretudo, a sua habilidade em se comunicar. Candidatos com currículos parecidos costumam encher caixas de e-mails dos recrutadores. No fim das contas, o que faz com que um seja chamado para o trabalho (e o outro não) é justamente a performance na entrevista.

Como agir durante a entrevista para a vaga de emprego dos meus sonhos?

As entrevistas de emprego geralmente acontecem de forma bem similar, ainda que algumas empresas optem por inserir dinâmicas de grupo ou outras etapas às suas seleções.

De qualquer forma, se você fará uma entrevista de emprego nos próximos dias, é bem provável que ouça a frase “conte um pouco sobre você”. O que responder?

– Contando “um pouquinho sobre você”

Esse talvez seja o momento que os candidatos mais temem, justamente por ser mais livre (e menos específico) que os outros, que têm perguntas direcionadas a temas bem definidos.

Na hora de falar um pouco sobre si, seja assertivo. Selecione apenas informações que são verdadeiramente úteis, com experiências realmente relevantes para a vaga que você quer ocupar. Costumo dizer que é importante saber nos apresentar de forma clara, com uma pequena fala de até 60 segundos. Nesse tempo, você deverá deixar claro o que faz, quais são seus objetivos e quais experiências contribuíram para seu crescimento profissional.

“Lívia, é impossível falar tanta coisa em apenas 60 segundos!” Não é, Speakers. Acreditem! Se vocês se prepararem com antecedência, planejando o que e como vão falar, esse será tempo suficiente. Além disso, essa não é uma regra estrita, mas, sim, uma habilidade que, quando você dominar, poderá ajudar em várias situações.

– Mostre, não conte

Você já ouviu falar sobre a técnica do “show, don’t tell”? Traduzindo para o português, a técnica do “mostre, não conte” também pode (e deve) ser utilizada em entrevistas de emprego.

Qual a diferença entre mostrar ou falar sobre algo? É simples. Imaginem um candidato que, durante a entrevista de emprego, dedica boa parte do tempo para repetir, inúmeras vezes, que ele é qualificado, que consegue trabalhar bem em grupo, que aprende rápido e outras características mais. Agora, por outro lado, pensem em um candidato que falou sobre os projetos que executou, os clientes que já teve e mesmo como certas experiências profissionais o ajudaram a crescer.

O primeiro contou. O segundo mostrou.

Notaram a diferença? Sempre opte por falar de si mesmo através de resultados concretos. O retorno será bem melhor.

– E a linguagem corporal?

A linguagem corporal importa? Sim. Muito!!! Nas entrevistas de emprego, estamos sendo avaliados de diversas formas – e não apenas pelo que dizemos. A forma como nos sentamos, como cumprimentamos o recrutador, nossa postura e até nossa voz dizem muito sobre nós mesmos.

O que fazer? Procurar manter uma postura ereta. Caso contrário, você pode acabar transmitindo a sensação de desinteresse. Encontre um tom de voz confortável e tente não falar nem muito rápido, nem muito lentamente. Mantenha contato visual com o seu entrevistador. E, por fim, saiba como gesticular de forma harmoniosa.

Outro item que merece destaque é a expressão facial. Alguns candidatos pensam, erroneamente, que manter a mesma expressão neutra em toda a entrevista é algo positivo. Não é. Na verdade, harmonizar o que você está dizendo e suas expressões faciais acaba sendo muito mais indicado. Por exemplo: se você está falando sobre suas motivações na empresa, demonstre, através das suas expressões faciais, que está MESMO motivado. Entenderam?

E as demais entrevistas, como lidar com elas?

Como eu disse no começo deste post, atualmente, profissionais que ocupam cargos administrativos e/ou de gerência acabam tendo que se acostumar a falar sobre sua empresa com outras marcas, com clientes ou até mesmo com a imprensa.

Para se preparar para esse tipo de entrevista, as técnicas são similares às que abordamos ao longo deste artigo. Conseguir apresentar a sua marca (a marca que você representa) em pouco tempo e de forma assertiva é uma habilidade necessária.

Da mesma forma, estar atento à linguagem corporal é outro item que merece destaque nas entrevistas.

Geralmente, antes de uma entrevista, temos tempo para nos preparamos. Se é assim, procure praticar a sua fala, montar um roteiro de respostas com possíveis perguntas (destacando palavras-chaves para cada tema) e se informando sobre os assuntos que possivelmente estarão em pauta.

Com tudo isso, você evita surpresas e garante uma boa performance.

 

Ficou evidente como a oratória é essencial para as entrevistas, não é? Aprimorar a sua comunicação, conhecendo técnicas de oratória, é uma forma de investir na sua própria carreira. Afinal, saber se expressar bem é um requisito para profissionais de praticamente todas as profissões. Pensem nisso!

Clique para dar sua nota!
Avaliações: 0 - Avaliação média: 0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *