Resoluções para 2021: por que incluir um treinamento em oratória?

Olá, Speaker!

Aconteceu o que muitos ansiavam tanto: 2021 chegou.

Janeiro é o mês oficial de traçar metas e estabelecer objetivos para o novo ano. Esse é um hábito que nos ajuda a manter o foco e a investir tempo e energia naquilo que realmente será importante.

Em 2021, habilidades ligadas à comunicação – e à comunicação digital especificamente – tendem a ser algumas das mais importantes para os profissionais.

É por isso que, para a nossa primeira conversa deste ano, decidi falar sobre: por que você deve incluir um treinamento em oratória nas suas resoluções?

Tenha uma boa leitura!

Para se adaptar à comunicação digital

Você se lembra de como a transição para o home office foi difícil para muitas pessoas? Um dos grandes motivos para isso é a falta de preparo em relação ao online e à comunicação digital.

Nos primeiros meses, até nos divertimos com algumas gafes que viralizaram nas redes sociais:

– Profissionais usando pijamas em reuniões

– Advogados participando de juris enquanto dirigiam

– Interrupção de animais de estimação e crianças

– Pessoas transitando ao fundo da tela

– E tantas outras!

Mas a graça acabou: agora, em 2021, esse tipo de amadorismo ferirá ainda mais a imagem que transmitimos profissionalmente. Esse é, portanto, o primeiro motivo para incluir um treinamento nos seus objetivos deste ano!

Não se esqueça: saber lidar com o digital, conhecer suas ferramentas e ter um bom posicionamento em reuniões e eventos online é essencial.

Para aproveitar as poucas chances de falar em público

O mundo está à espera de ações que minimizem os impactos da pandemia. Ainda assim, com a chegada desses avanços, falar em público presencialmente não será algo tão recorrente como em anos anteriores.

O que não podemos esquecer é que falar em público continua sendo uma das competências mais importantes da atualidade, indispensável a profissionais de todos os cargos e áreas.

Por mais que eventos presenciais diminuam, quem sabe falar bem em público é visto como alguém que tem competência, autoridade, inteligência emocional e liderança. Então, desperdiçar as chances de falar em público é um grande erro.

Se você tiver a chance de falar em público neste ano, não a desperdice! Prepare-se antes, conheça as técnicas básicas e saiba lidar com o nervosismo. Um treinamento é o caminho mais eficiente para isso!

Para perder a vergonha de gravar vídeos

A vergonha de gravar vídeos é uma das queixas que mais chegam até mim: as pessoas têm a necessidade de gravar vídeos, mas sentem medo e vergonha desse tipo de exposição.

Engana-se quem pensa que essa vergonha acontece apenas com profissionais inexperientes. Não é bem assim! Até mesmo pessoas com experiência em falar em público de forma presencial podem “travar” diante da câmera.

A gravação de vídeos tem sido uma competência bastante requisitada para, por exemplo:

– Enviar mensagens aos colaboradores da empresa

– Aparecer nos stories das redes sociais

– Gravar treinamentos à distância

– Apresentar produtos em vendas online

– Criar materiais complementares para aulas remotas

– Gravar uma apresentação para entrevistas de emprego

É para essas e outras finalidades que a gravação de vídeo passou a ter um caráter fundamental. Em um bom treinamento de oratória, essa habilidade – tão urgente hoje – também será trabalhada, diminuindo, assim, a vergonha de aparecer nos vídeos.

Para se comunicar com mais empatia

Vivemos em um contexto muito delicado, pelos motivos que você já conhece. Em meio a todos os acontecimentos do ano passado – e que tendem a se manter neste ano –, a necessidade de desenvolver uma comunicação mais empática se tornou evidente.

Mas o que é essa comunicação? Posso destacar algumas características, mas a que considero como a principal é: saber ouvir. Comunicar-se empaticamente é entender que ouvir é parte importante dos processos comunicativos.

Além disso, é uma forma consciente de abordar temas delicados e de fazer isso em todos os níveis de comunicação:

– no dia a dia corporativo

– nas redes sociais

– em pronunciamentos oficiais

– em entrevistas

– no contato com clientes

Em um treinamento em oratória, você receberá um feedback sobre sua capacidade de escuta, sobre o seu uso do humor (se é ou não prudente), sobre sua linguagem não-verbal e tantos outros fatores.

Para saber usar a linguagem não-verbal

E se eu te contar que um dos grandes erros na hora de aprimorar a comunicação é deixar de lado a linguagem não-verbal?

Muitas pessoas se debruçam apenas no conteúdo. Estudam técnicas para organizar a fala, aprendem sobre argumentação e persuasão, praticam as melhores formas de iniciar e terminar um discurso. Mas e a nossa voz e o nosso corpo?

Não nos expressamos só pelo conteúdo que transmitimos: nossa voz, nossa postura, expressões faciais, gestos, enquadramento (no online) também dizem muito e é fundamental garantir que haja harmonia entre o verbal e o não-verbal.

Um treinamento em oratória trabalha três pilares centrais:

– A mensagem

– A expressão vocal

– A expressão corporal

O segundo e o terceiro pilares – expressão vocal e corporal – estão inseridos no que chamamos de linguagem não-verbal, ou seja, tudo aquilo que expressamos com nosso corpo e nossa voz.

Aprender a usar a linguagem não-verbal a seu favor é crucial para ser alguém que se comunica bem e que consegue persuadir, convencer e inspirar as pessoas ao seu redor!

Fale com a gente!

Investir em conhecimento é uma das melhores formas de zelar pelo seu futuro profissional. A comunicação já é determinante em qualquer área e isso tende a se acentuar ainda mais neste ano.

Agora que você já viu algumas razões para incluir um treinamento em suas resoluções, entre em contato com a minha equipe para decidirmos qual é a melhor opção para você!

Feliz 2021, Speaker! Até a próxima!