Storytelling e Oratória

Speakers! Tudo bem com vocês?

Vocês já ouviram ou leram a expressão “storytelling” por aí? Ela tem sido muito utilizada nos últimos anos entre roteiristas, escritores e oradores.

“Storytelling” significa “contar histórias” e tem tudo a ver com aqueles que, como você, querem aprimorar as habilidades de oratória e serem bons comunicadores.

Quando falamos em storytelling, nos referimos a um conjunto de técnicas para contar uma história de uma forma eficaz e, assim, inpirar pessoas.

E, não se engane, Speaker: se, ao escutar alguém falando sobre “contar histórias”, você logo imagina uma senhora cercada por crianças, fantasiando sobre fadas e aventuras mágicas, saiba que isso não é mais assim.

O termo “contar histórias” – ou a sua versão em inglês, “storytelling” – faz referência a vários tipos de comunicação.

Quando apresentamos um TCC, quando damos um discurso, gravamos um vídeo ou contamos um pouco sobre nós mesmos numa entrevista de emprego, estamos, na verdade, contando uma história.

É isso mesmo, Speaker: ser um bom comunicador é saber contar uma boa história!

Storytelling e Oratória

Muita gente traça uma diferença entre storytellling e oratória. Para essas pessoas, a oratória apresenta um foco maior no narrador e menor na mensagem. E é aí que nascem todas as dicas sobre postura, sobre como usar a nossa voz e nossas expressões faciais.

Por outro lado, a storytelling se preocupa essencialmente pela história a ser contada, deixando esses passos “técnicos” um pouco de lado. Quando falamos em storytelling, pensamos em formas de emocionar as pessoas de forma genuína, traçando uma ligação entre o público e a história.

Na verdade, essa discussão sobre as diferenças entre oratória e storytelling pouco nos interessa, Speakers. O ideal, aqui, é aprender um pouquinho dessas duas técnicas que, no fim das contas, têm o mesmo objetivo: falar bem sobre algo. Afinal, uma completa a outra, não é mesmo?

Pense bem: será que é suficiente ter uma ótima história para contar e, por não saber usar a nossa voz, deixarmos de sermos ouvidos?

Ou, ainda, vale a pena dominar todas as técnicas de postura e fala se não temos nada interessante para contar?

A resposta, obviamente, é NÃO, certo? Então, vamos aprender com essas duas vertentes da comunicação para sermos excelentes speakers!

Como falar bem em público – Storytelling

A storytelling é a arte de persuadir pessoas através de uma história. Muitas empresas usam essas técnicas para venderem seus produtos, seja através de palestras face a face ou mesmo por campanhas em vídeo divulgadas nas redes ou na TV.

Você provavelmente já viu propagandas da Coca-Cola, não é? Essas propagandas são algumas das muitas mídias que usam as técnicas de storyteling e, por isso, são sempre sucesso praticamente em todo o mundo.

A propaganda não diz: “Compre coca-cola”, mas conta uma história incluindo o produto, sensibilizando o público de alguma forma e, consequentemente, promovendo essa venda de forma indireta.

Nas nossas apresentações em público – independente do contexto –, podemos usar a mesma técnica. Ao invés de apresentarmos nossas ideias de um jeito fechado e tradicional, podemos fazer isso através de uma história.

Sabem por que isso é tão eficaz? Simples, Speakers! As pessoas tendem a prestar mais atenção em histórias, daí o sucesso de filmes e séries atuais.

“Ok, Livia. Já entendi que a storytelling é uma boa ferramenta. Mas como usá-la?” Ótima pergunta! Para seguir os passos da Storytelling, você pode se orientar por três técnicas essenciais. Veja:

1- Divida a sua apresentação em três partes: introdução, desenvolvimento e conclusão. Nessa última, ofereça uma solução à história. Essa solução pode ser a venda de um produto, a sua contratação na empresa ou o que mais você quer transmitir ao outro. O importante é apresentar um “problema” e resolvê-lo ao final da sua fala.

2- Personifique dados e informações muito técnicas. Em outras palavras, sempre que possível, use algum personagem para contar uma história. As pessoas tendem a se sensibilizar mais quando veem nome e rosto em determinada informação. Além disso, ao ver a história através de alguém, as pessoas pensam: “isso também acontece comigo!” e sentem empatia.

3- Use emoção. Falas frias  e muito práticas já estão ultrapassadas. Pode parecer que não, mas, hoje em dia, as pessoas tomam decisões se baseando muito mais em suas emoções do que na própria razão. Procure ser verdadeiramente emotivo e, assim, criará uma ligação com seu público.

Como falar bem em público – Oratória

Agora que já você já sabe alguns dos principais pilares da storytelling, é hora de complementar, aprendendo algumas dicas essenciais da oratória. Separamos três. Confira!

1- Esteja atento à sua voz. Opte por volumes medianos sempre que tiver que falar em público. Além disso, varie o seu tom de voz durante a apresentação. Isso prende a atenção do seu público e faz com que sua fala se torne mais atrativa.

2- Esteja atento ao ritmo da sua fala: não tenha pressa, mas também não vá muito devagar. Falas muito lentas são tediosas e falas muito rápidas diminuem o interesse do público. Encontre o tempo ideal, sim?!

3- Preste atenção à sua postura. Mantenha a coluna ereta, garantindo a melhor postura possível. Assim, sua fala transmitirá segurança e mostra que você realmente domina tudo aquilo que está dizendo.

Uma boa postura também faz com que sua imagem seja melhor, passando uma sensação de bom humor, interesse e muita disposição. Se falamos encurvados, nosso público entenderá que estamos cansados ou entendiados e, logo, se sentirão da mesma forma.

Gostaram da nossa conversa de hoje, Speakers? Espero que sim! Para ter acesso a outras dicas sobre comunicação, confira o nosso canal, com vídeos preparados especialmente para todos que querem ser bons comunicadores!

Se você ficou interessado pelo assunto e quer aprender mais sobre storytelling e oratória, dê uma conferida nos cursos  online e presenciais da The Speaker! O caminho para ser um bom comunicador não precisa ser solitário: conte com a gente! Te esperamos!