Tecnologia e Comunicação: como utilizar essas ferramentas e ser um bom líder em tempos de crise?

Olá, Speaker!

O contexto atual é de incertezas. Mudanças vêm acontecendo em uma velocidade muito maior do que o habitual e líderes de todo o mundo tentam acompanhar o ritmo, criando soluções rápidas para o que for aparecendo no caminho.

Se você chegou até aqui, é porque ocupa algum cargo de liderança e compreende o quanto as suas decisões impactam a vida dos demais e interferem no futuro da sua marca, certo?

Nick Smallman, fundador e CEO da Working Voices, divulgou um manual de como agir com liderança no cenário atual. Na nossa conversa de hoje, trago alguns dos passos para adaptar-nos ao que ele chamou de “novo normal”. Além disso, separei algumas ações estratégicas que considero primordiais no contexto contemporâneo. Confira!

Pense no suporte emocional

Seria uma inverdade dizer que os líderes das empresas não estão preocupados com a produtividade e o rendimento de suas equipes. É claro que essa é uma das principais preocupações dos gestores e que há razões concretas para que elas aconteçam.

Uma dessas razões é, justamente, a rápida migração para o home office. Para respeitar o isolamento social, setores inteiros migraram para o trabalho à distância sem terem passado por um processo de preparação.

Diante disso, aos gestores, cabe recordar que o teletrabalho não significa um rendimento menor. Aliás, em muitíssimas empresas, acontece exatamente o contrário: desde suas casas, os profissionais rendem mais.

Segundo Smallman, no entanto, o lado humano é essencial para que isso aconteça. Como assim? Quando se fala em trabalho remoto, gestores tendem a pensar imediatamente em alternativas tecnológicas que tornem possível o seguimento das atividades. E, com isso, esquecem do suporte emocional.

Colaboradores atuando em casa – e especialmente diante dos medos do cenário contemporâneo – devem receber um apoio emocional e esse suporte precisa vir, em grande parte, dos líderes.

Para isso, tecnologia e comunicação são os pilares essenciais.

Obtenha o melhor da tecnologia

Não é nenhum mistério que, sem a tecnologia, seria MUITO mais difícil para as empresas atravessarem essa etapa e os desafios que com ela vieram. Logo, utilizar essas ferramentas ao máximo e da melhor forma possível é outro dos passos que os líderes precisam dar.

A tecnologia deve permitir (com segurança) que as equipes mantenham contato entre si, independentemente da localização. Há, inclusive, uma grande diversidade de plataformas que aproximam as pessoas e permitem um contato constante, mesmo de forma remota.

Nas palavras de Smallman, a tecnologia deve ser considerada como uma oportunidade de conexão. Rostos devem ser vistos, vozes devem ser ouvidas. Isto é, deve haver conexão humana real. Afinal, somos seres sociáveis e o convívio com nossos iguais tem uma dimensão enorme para manter o equilíbrio em momentos de crise.

De maneira prática, programar reuniões semanais com a sua equipe (via Zoom, Skype ou uma das tantas outras plataformas disponíveis) é uma estratégia interessante. Nessas reuniões periódicas, incentivar a interação entre os colaboradores e deixar que todos se expressem também são ações importantes.

A mesma lógica vale para investidores, marcas parceiras e empresas. É preciso manter contato. Obviamente, não me refiro a reuniões semanais, mas, sim, utilizar a tecnologia e as redes sociais para não perder o vínculo com as pessoas de fora da empresa. Esse cuidado também é determinante.

Comunique o seu plano para a sua equipe

E chegamos ao outro pilar do momento atual: a comunicação. Sem uma comunicação concreta e eficiente, manter a coesão entre profissionais é praticamente impossível. E cabe a você, líder, pensar em estratégias de comunicação eficazes e coesas.

Nesse sentido, ser transparente na hora de dialogar com seus colaboradores é fundamental. O otimismo excessivo, além de infundado, dificilmente terá um efeito positivo entre seus colaboradores.

O que isso quer dizer? Ter sensatez para comunicar-se com sua equipe, em um momento como esse, significa manter a honestidade e o equilíbrio. Evitar a negação de insistir em dizer que “está tudo bem” e, ao mesmo tempo, conseguir se expressar sem adotar um tom alarmista. Esse é o desafio.

Outra palavra de ordem para ser um bom líder no cenário atual é a empatia. Empatia para compreender que cada um reage à sua maneira e que as incertezas que rondam a sua empresa também rondam a mente de seus colaboradores, marcas parceiras e clientes.

Para cada um desses aspectos ligados à comunicação, ações práticas são determinantes. Vejamos algumas delas no tópico seguinte.

Implemente ações estratégicas

Além da postura sensata e empática, ações concretas precisam ser tomadas pelos gestores durante o período atual, considerando, sobretudo, que grande parte dos setores está atuando remotamente.

E quais são essas ações estratégicas?

  • Defina e padronize os canais de comunicação, evitando ruídos entre os profissionais
  • Estabeleça uma rotina de reuniões semanais para manter a proximidade e a coesão entre setores
  • Utilize plataformas de organização de tarefas e chat para facilitar a comunicação diária
  • Ofereça um suporte emocional aos seus colaboradores
  • Esteja disponível para o diálogo com seus profissionais
  • Respeite o horário comercial/de expediente dos seus colaboradores
  • Mantenha contato com empresas parceiras e investidores
  • Posicione-se claramente para seus clientes e mantenha o diálogo através das redes sociais ou outras plataformas já utilizadas pela sua marca

Não se sabe, ainda, quais serão as consequências do contexto atual, nem como será o que Smallman chamou de “novo normal”.

Ainda assim, há a certeza de que, passados os dias mais difíceis, as empresas e seus líderes serão julgados pelas ações que tomaram durante esse período, como abraçaram (ou não) seus colaboradores e o que fizeram pelos seus clientes. Pense nisso!

Clique para dar sua nota!
Avaliações: - Avaliação média:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *