Datastorytelling: 4 passos para falar sobre números de forma eficiente

Livia Bello

| CEO The Speaker

Muito prazer, meu nome é Lívia Bello, sou CEO e Fundadora da The Speaker, uma empresa que é referência em comunicação e oratória no Brasil.

Search

Últimos Posts

Datastorytelling: 4 passos para falar sobre números de forma eficiente

Olá, Speaker!

Falar sobre números nem sempre é algo simples. Apresentações que têm como conteúdo um grande volume de dados e estatísticas, por exemplo, precisam ser ainda mais preparadas e planejadas. 

A razão? Dependendo da forma como são apresentados, índices numéricos acabam se tornando massivos para a audiência. Logo, reter a atenção do público em exposições desse tipo é um desafio importante. 

O datastorytelling surge, portanto, como uma forma de apresentar números de uma maneira mais interessante e que faça mais sentido para a audiência. Criando uma narrativa, é mais fácil chegar até as pessoas e transmitir a mensagem com eficácia. 

Hoje, vou explicar o que é o datastorytelling e 4 passos que considero essenciais para utilizar essa técnica de um jeito eficiente e persuasivo. Confira! 

Afinal, o que é o datastorytelling?

Datastorytelling é uma técnica para falar sobre números, dados, estatísticas. É, na prática, um recurso para criar uma narrativa ao abordar esses índices, logrando, com isso, maior eficácia e clareza na comunicação. 

Você provavelmente já escutou o termo storytelling, não é? Afinal, essa tem sido uma técnica muito citada nos últimos tempos. O termo “storytelling” significa contar uma história, que é o que grandes comunicadores fazem ao dialogar com sua audiência. 

O datastorytelling, por sua vez, consiste em contar uma história para falar sobre números, isto é, incluir esses números em uma narrativa com:

– Personagens

– Experiências

– Contextos 

Como fazer isso? Há 4 passos que considero essenciais. 

4 passos para falar (bem) sobre números  

Número sempre tiveram um peso enorme: em negociações, feedbacks de trabalho, contratações, ações políticas, econômicas e sociais. Com a internet e as tecnologias, tanto a produção quanto o acesso a números se tornaram muito maiores. 

Construir narrativas para abordar tanto volume numérico é um recurso para que esses números sejam mais atrativos e, de fato, assimilados por nosso público-alvo. É, ainda, uma maneira de destacar índices mais relevantes e inclui-los em um contexto. 

Dentro de uma história, de um contexto, números se tornam mais marcantes, com mais sentido, e passam a ser mais memorizáveis pelas pessoas, o que fortalece a mensagem e o CTA, isto é, a chamada para ação. 

4 ações são centrais para usar bem essa técnica. Veja! 

1. Priorize informações

Um dos desafios em apresentações que focam, sobretudo, em números é justamente este: o de priorizar informações, especialmente agora, quando o volume de dados é muito amplo e absolutamente todos parecem ser relevantes.

É preciso, então, definir aqueles dados que são fundamentais para a SUA apresentação, SEU objetivo e SEU público. Trata-se, aqui, de destacar o que realmente cumpre uma função clara para a narrativa e o assunto em questão.

É importante destacar que há uma enorme diferença entre priorizar dados e omitir outros, ok?

2. Utilize imagens

Gráficos, fotos, mapas: as imagens têm um poder enorme e auxiliam no entendimento do público, principalmente em exposições que abordam muitos números, estatísticas e índices de forma geral. 

Por isso, utilize este recurso. Prepare-o com antecedência. Garanta que tenha qualidade e esteja claro o suficiente para complementar a sua narrativa, o seu conteúdo. 

Cuidado: as imagens não devem ser “bengalas” da sua apresentação, elas são um complemento e, logo, você não tem que depender delas para transmitir a sua mensagem.

3. Conheça o público para criar uma narrativa coerente

Conte a história certa! O datastorytelling só será eficiente se você contar a história adequada, que realmente tenha sentido para a sua audiência e possa aproximar o público dos índices que você quer abordar.

Para fazer isso, é indispensável conhecer o seu público: perfil, anseios, dores. É através disso que a sua narrativa será, de fato, interessante o bastante para chamar e reter a atenção das pessoas durante toda a apresentação. 

4. Use bem a linguagem não-verbal

A linguagem não-verbal é um dos pilares da comunicação. Em apresentações sobre números, cumpre o papel de fortalecer a mensagem que é transmitida, além de criar uma relação mais próxima e empática com a audiência. 

Quando falam sobre números, muitos cometem o erro de assumir uma posição neutra: permanecem com as mesmas expressões todo o tempo, utilizam pouco ou nada os gestos e se focam tanto nos dados que esquecem do contato visual.

Não cometa esses erros: seja expressivo, de uma maneira que esteja harmonizada com a fala e os números que aborda. Aprenda a gesticular e a usar bem a sua voz. 

 

Um bom comunicador é aquele que consegue transmitir a sua mensagem com clareza, de forma acessível à audiência e com poder de persuasão. 

Para se familiarizar com o datastorytelling e outras técnicas de oratória, um treinamento é um diferencial. 

Fale comigo e conheça as soluções da The Speaker para aprimorar a sua comunicação. Te espero! 

Nosso blog

Últimas postagens

Oratória em Diversos Contextos

A oratória é uma habilidade versátil e essencial em vários aspectos da vida, desde o ambiente profissional até eventos sociais e políticos. Cada contexto apresenta

Ler mais »

Técnicas de Retórica Clássica

A retórica clássica, desenvolvida na Grécia e Roma antigas, é a arte de usar a linguagem de maneira eficaz e persuasiva. Muitas das técnicas desenvolvidas

Ler mais »

Oratória para médicos

A oratória é uma habilidade crucial para médicos em diversas situações, tanto na prática clínica quanto em outros contextos profissionais. Aqui estão algumas situações em

Ler mais »