Aprenda a falar em público no ambiente online

A comunicação digital é bem diferente daquela que acontece presencialmente: a ausência do contato físico e, até mesmo, das conversas paralelas antes de uma reunião são apenas alguns dos aspectos que marcam essa diferença.

Nos processos de exposição de fala que acontecem no ambiente digital, tudo parece ser menos espontâneo.

Afinal, conversar com pequenos quadros nos quais as pessoas transmitem suas imagens não é o mesmo que dialogar com quem está por perto.

Todas essas particularidades do online interferem na nossa mente, que tem mais dificuldades para interpretar os sinais que chegam até ela. Com isso, aumenta-se a sensação de cansaço no fim do dia.

Falar em público no ambiente online requer compreender todas essas diferenças entre o digital e o presencial. A partir desse entendimento, é que nós, comunicadores, podemos nos adaptar e lidar com os distintos contextos que fazem parte do dia a dia.

Pensando nisso, siga a leitura deste artigo e aprenda a falar em público no ambiente online! 

Adapte o seu conteúdo ao formato digital

Diante das diferenças entre o presencial e o online, a palavra de ordem é adaptação. Muitas vezes, aquilo que é extremamente eficaz em uma situação de exposição de fala presencial não tem o mesmo impacto no online.

Essa adaptação deve começar logo pelo planejamento do conteúdo. E isso é válido para os mais diversos tipos de situações que “migraram” para o online: reuniões, entrevistas, cursos, apresentações e tantas outras.

O conteúdo digital deve ser pensado para atender às demandas desse ambiente. E quais demandas são essas?

  1. O conteúdo deve ser ainda mais assertivo e direto que em outros contextos;
  2. A mensagem a ser transmitida precisa ser cativante todo o tempo, em cada frame;
  3. É preciso harmonizar a fala e outros recursos, como o compartilhamento de tela;
  4. É importante adaptar cada conteúdo de acordo com o público-alvo específico.

Encontre maneiras de interagir com o público

Um dos grandes desafios do online é a interação. O formato digital por si só já implica em uma interação muito menor do que em situações presenciais. Com isso, aumenta-se a dificuldade em chamar e reter a atenção das pessoas.

Encontrar estratégias eficientes para interagir com a sua audiência é, portanto, determinante para falar em público no ambiente online. Propor perguntas, fazer enquetes, dar espaço para que outros falem: esses são alguns exemplos interessantes.

Nas plataformas disponíveis na web para reuniões ou outras situações no online, já há uma série de ferramentas que propiciam interação entre o comunicador central e seu público.

Por isso mesmo, é fundamental conhecer essas ferramentas e saber inclui-las na transmissão da sua mensagem. Sem interação, um processo comunicativo dificilmente terá o sucesso esperado.

Saiba usar a linguagem não-verbal

A linguagem não-verbal é determinante em todo tipo de situação de fala, seja ela presencial ou via plataformas digitais. No entanto, há diferenças marcantes entre o presencial e o online.

No presencial, falamos de como se locomover no palco ou como usar o púlpito, por exemplo. Mas, no online, há que se considerar outros aspectos.

Um desses aspectos é o enquadramento. É de suma importância planejar o enquadramento da câmera, isto é, aquilo que ela estará mostrando aos demais. O enquadramento não deve ser demasiado aberto, mas precisa dar espaço para os gestos.

Um erro comum é concentrar a imagem da câmera apenas no rosto. Ao fazer isso, o comunicador perde a possibilidade de mostrar os gestos que faz com as mãos, limitando muito a dinâmica não-falada que transmite.

Lide com a zoom fatigue

O termo zoom fatigue é recente e se refere ao cansaço que as pessoas sentem após situações de exposição de fala no ambiente digital. Essa fadiga, a zoom fatigue, tem a ver com o fato de que, no online, o nosso cérebro acaba trabalhando mais.

Sem que percebamos conscientemente, o nosso cérebro interpreta todos os sinais que chegam até ele. Em situações de fala presenciais, é mais fácil fazer essa interpretação – tanto da dinâmica falada quanto da não-falada.

No digital, por sua vez, a limitação visual e o fato de que sempre há uma tela entre uma pessoa e outra acabam exigindo mais da nossa mente. Logo, é preciso saber lidar com isso.

Uma das maneiras de diminuir esse cansaço excessivo é se concentrar em uma única ação.

No online, podemos checar nossos e-mails, dar likes nas redes sociais e até ler notícias – tudo isso, enquanto estamos em uma reunião da empresa, por exemplo.

Esse excesso de tarefas acaba nos cansando muito mais. Por isso mesmo, é determinante resistir às tentações e manter a concentração em uma tarefa de cada vez.

Utilize a tecnologia a seu favor

É verdade que as tecnologias e a comunicação digital demandam o aperfeiçoamento de uma série de competências. Mas, ao mesmo tempo, essa tecnologia traz uma grande diversidade de novas possibilidades. É preciso, pois, usá-las a nosso favor.

Conhecer a parte técnica, descobrir as ferramentas das plataformas digitais, criar alternativas para estar perto mesmo longe são algumas dessas tais novas possibilidades.

É importante dedicar um tempo para aprender mais sobre essas tecnologias com antecedência. Deixar para aprender quando já estiver em uma situação de fala importante é um risco muito grande.

A comunicação digital veio para ficar. Diante disso, os profissionais têm duas possibilidades: gastar energia resistindo às mudanças ou aprimorar as próprias competências.

Com certeza, a segunda opção é a melhor – e única possível – para quem quer estar em dia com as exigências do mercado e das relações sociais. Desenvolver novas habilidades e aprimorar outras é sinônimo de melhorias constantes e necessárias.

Conte comigo, Speaker!

 

Clique para dar sua nota!
Avaliações: 0 - Avaliação média: 0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *