Benchmarketing e datastorytelling: por que a comunicação é a base desse processo?

Livia Bello

| CEO The Speaker

Muito prazer, meu nome é Lívia Bello, sou CEO e Fundadora da The Speaker, uma empresa que é referência em comunicação e oratória no Brasil.

Search

Últimos Posts

Comunicação Magnética

Comunicação magnética refere-se à habilidade de atrair e manter a atenção das pessoas de forma eficaz, fazendo com que se sintam engajadas e conectadas com

Ler mais »

Benchmarketing e datastorytelling: por que a comunicação é a base desse processo?

Olá, querido Speaker! 

Para você, a comparação com os demais – especialmente com a nossa concorrência – é positiva ou negativa? 

Se bem é verdade que a comparação a nível pessoal pode ser algo que nos paralisa, a comparação em níveis de empresa não apenas é saudável, como é determinante para a criação de estratégias eficientes. 

O que isso quer dizer? Uma das ações de inteligência de mercado é o chamado benchmarketing. Nesse processo, uma empresa (macro, média ou micro) coleta dados sobre marcas de nichos idênticos e, a partir desses dados, consegue medir o próprio rendimento. Com isso, utilizando essa informação e sabendo interpretá-la corretamente, o que acontece é o aprimoramento do que é oferecido ao mercado, seja um produto ou um serviço.

A comunicação tem um papel importantíssimo no desenvolvimento do benchmarketing de uma empresa. Técnicas como o datastorytelling, se bem aplicadas, funcionam como verdadeiras aliadas nesse processo, impulsionando, ainda mais, os resultados que se obtêm a partir dele. 

Se interessou sobre esse assunto? Quer se informar mais sobre o que é o benchmarketing e como aplicá-lo no seu empreendimento? Siga a leitura!  

Entendendo melhor o que é benchmarketing e o benchmarketing digital

Benchmarketing é uma estratégia de inteligência de mercado e se aplica em um processo pelo qual uma marca se compara com outras marcas do mesmo nicho. Essa comparação tem um propósito bem claro: medir o próprio rendimento e aprender com os erros e acertos da concorrência, encurtando o caminho. 

Por exemplo: se a empresa X, que atua no mesmo nicho que a minha empresa, testou um determinado produto, mas não conseguiu uma boa resposta do mercado, isso me auxilia a evitar as mesmas decisões, evitando, ao mesmo tempo, que eu cometa o mesmo erro (gastando tempo, energia e investimentos financeiros em vão). 

Para resumir, podemos pensar o benchmarketing como uma estratégia que encontra referência para as decisões futuras, pautadas, sobretudo, na comparação saudável com outras marcas.  

Uma das aplicações específicas do benchmarketing é na área digital. Nela, o que se faz é analisar estrategicamente a presença na web de marcas similares à nossa, verificando como se dá a comunicação com clientes, quais são os canais utilizados (Instagram? Blog? Canal no Youtube?) e o nível de engajamento gerado em cada publicação. 

Ao debruçar-se sobre tudo isso, a empresa consegue medir melhor como anda a sua própria presença na web, se atinge níveis satisfatórios de engajamento com clientes e se tem uma linha similar ou não à utilizada pela concorrência direta. Com isso, consegue mensurar melhor se o caminho a seguir é o mesmo de agora ou se há mudanças a serem feitas. 

Por que a comunicação é a base do benchmarketing? 

Por tudo o que falamos até aqui, já ficou clara a importância da análise e interpretação de dados para a execução do benchmarketing, correto? Bem, a comunicação é imprescindível nesse processo porque, caso haja falhas nessa comunicação, as informações serão mal interpretadas o que ocasionará numa tomada de decisões ineficiente. 

No benchmarketing digital, analisar estrategicamente as ferramentas de comunicação das empresas concorrentes e ter a inteligência necessária para realizar modificações plausíveis na comunicação da minha própria empresa é, sem dúvidas, uma decisão acertadíssima. É o que torna mais fácil investir na própria presença digital, tendo bem claro o que funciona e o que não funciona. 

Na interpretação de dados propriamente dita, uma técnica da comunicação tem um impacto enorme: o datastorytelling, que é, basicamente, saber interpretar dados e estatísticas, desenvolvendo, ao mesmo tempo, a habilidade de falar sobre tais números de forma interessante. Isso significa lograr desenvolver uma narrativa a partir de índices numéricos, aproximando tais índices da realidade de quem os escuta (nesse caso, líderes e liderados de uma empresa). 

Podemos pensar na comunicação como o elo, como a ponte que liga e sustenta o benchmarketing e sua aplicação. De nada adianta realizar uma excelente pesquisa de mercado, coletando dados úteis para referenciar as decisões da nossa empresa, caso não soubermos compreender tais dados e entender o que significam na prática. 

A comunicação é um fator determinante para o sucesso ou insucesso do benchmarketing, assim como de outras tantas ações dentro e fora do universo corporativo. Não subestime o poder da comunicação!

Nosso blog

Últimas postagens

Comunicação Magnética

Comunicação magnética refere-se à habilidade de atrair e manter a atenção das pessoas de forma eficaz, fazendo com que se sintam engajadas e conectadas com

Ler mais »

Oratória em Diversos Contextos

A oratória é uma habilidade versátil e essencial em vários aspectos da vida, desde o ambiente profissional até eventos sociais e políticos. Cada contexto apresenta

Ler mais »