Datastorytelling: 4 passos para falar sobre números de forma eficiente

Olá, Speaker!

Se você já teve que fazer uma apresentação com um grande volume de dados e estatísticas, provavelmente sabe o quanto pode ser difícil chamar e reter a atenção do público nessas situações de exposição de fala.

Mas falar sobre números não precisa ser algo complexo. Aplicando o datastorytelling, é possível criar narrativas interessantes e transmitir sua mensagem de uma forma clara e atrativa para a audiência.

Na nossa conversa de hoje, explico os 4 passos centrais para usar essa técnica e impulsionar suas próximas apresentações – online ou presenciais. Boa leitura!

O que é o datastorytelling?

Antes de falar sobre os 4 passos para aplicar o datastorytelling, é importante entender o que é essa técnica na prática. Data significa “dados” e Storytelling quer dizer “contar uma história”.

Datastorytelling é, portanto, contar uma história através de números. Na prática, esse é um recurso para fazer apresentações que contêm um volume amplo de estatísticas, dados, índices, porcentagens…

Ao falar sobre esses dados, incluindo-os em uma narrativa, a apresentação tende a ser:

– Mais acessível à audiência

– Mais atrativa para o público

– Mais próxima das pessoas que te escutam

– Mais fácil de ser lembrada

Quando digo “criar narrativas”, me refiro à técnica de incluir os números em uma história, que tenha, por exemplo: personagens, experiências e um contexto bem definido.

Agora que você já sabe o que é o datastorytelling, vejamos os 4 passos centrais para aplicá-lo em suas próximas apresentações.

4 passos centrais para usar o datastorytelling: quais são eles?

Vivemos em uma época na qual nunca foi tão fácil acessar números. As estatísticas e métricas fazem parte do nosso dia a dia: no trabalho, nas redes sociais e em tantos outros contextos.

Os números têm, portanto, uma importância enorme em uma apresentação. Eles fortalecem argumentos, impulsionam CTAs (Chamadas para a Ação) e tantas outras funções. Mas, para que cumpram tudo isso, precisam ser acessíveis.

Ao criar narrativas para falar sobre números, o que você faz, Speaker, é, justamente, torná-los mais acessíveis, mais próximos à sua audiência. É, em outras palavras, uma maneira de inclui-los em uma história que inspira e gera empatia.

Os 4 passos centrais para aplicar essa técnica são:

1. Priorize informações em 3 grupos principais

Você sabia que as pessoas tendem a assimilar melhor um conteúdo quando ele está dividido em três tópicos centrais? Defina, então, quais dados são fundamentais para a SUA apresentação, SEU objetivo e SEU público.

Lembre-se: se você optar por incluir um volume excessivo de dados, a sua audiência terá dificuldades em assimilar esses números e toda a sua mensagem poderá ser prejudicada.

Priorizar números é, portanto, uma forma de dar destaque àquilo que você considera mais importante, de acordo com o tema central da sua fala.

2. Utilize imagens

Imagens são sempre boas aliadas em apresentações: tanto presenciais quanto online. Elas têm um poder de chamar a atenção e de gerar uma mensagem que é mais memorizável, mais impactante.

Se você tem uma apresentação com grande volume de dados (mesmo priorizando esses números, como vimos), utilize recursos visuais: gráficos, fotos, mapas, tabelas comparativas e tantas outras opções.

Neste passo, é preciso destacar que as imagens são um complemento à sua apresentação. Isto significa que você não pode depender delas 100%, ok? Utilize-as como um recurso, não como o pilar que sustenta a sua fala.

3. Saiba qual é a história correta

“Como assim, Lívia?”. Sim, Speaker: contar uma história é uma estratégia eficiente, mas desde que saibamos contar a história adequada, segundo o perfil do nosso público, da nossa audiência.

Como saber, então, qual é a história certa a se contar? Conhecendo o seu público, entendendo suas dores, seus anseios… Dessa forma, você saberá criar/ organizar uma narrativa que realmente faça sentido e tenha o impacto esperado.

Bons exemplos disso são os perfis de influenciadores na área de economia. Eles falam para um público específico, criam narrativas para explicar números e, por isso mesmo, têm se tornado tão relevantes no país.

4. Domine a sua linguagem não-verbal

Um erro MUITO comum em apresentações sobre números é o mau uso da linguagem não-verbal. Havia uma tendência de manter sempre as expressões faciais neutras, o que, supostamente, daria mais autoridade para falar sobre esses dados.

Felizmente, essa tendência já está ultrapassada. Agora, sabemos que a boa comunicação inclui também a dinâmica não-falada: gestos, postura, voz, expressões faciais…

Dominar a linguagem não-verbal é, basicamente, garantir que exista uma harmonia entre o que você diz e o que você expressa através do seu corpo. Por exemplo: se você aborda números impactantes, mas permanece neutro, há um ruído na comunicação.

Por que fazer um treinamento em oratória?

Treinamentos com profissionais especializados em comunicação são a forma mais assertiva de aprimorar habilidades de oratória e aprender técnicas como o datastorytelling.

O contato com um especialista permite o feedback sobre a SUA comunicação: seus pontos fortes e aspectos que demandam uma atenção maior. É, ainda, o caminho mais seguro para ter acesso a informações confiáveis e compatíveis com o cenário atual.

Para conhecer a The Speaker e todas as nossas soluções, entre em contato com a minha equipe, conte sobre suas expectativas e necessidades e te ajudaremos a encontrar o melhor treinamento.

Te espero, Speaker!

 

Clique para dar sua nota!
Avaliações: 0 - Avaliação média: 0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *