Quais são as principais saias justas na comunicação?

Livia Bello

| CEO The Speaker

Muito prazer, meu nome é Lívia Bello, sou CEO e Fundadora da The Speaker, uma empresa que é referência em comunicação e oratória no Brasil.

Search

Últimos Posts

A resiliência e a oratória

A resiliência é a capacidade de uma pessoa enfrentar adversidades, superar situações de estresse, traumas, tragédias, crises ou problemas, e se recuperar de forma saudável

Ler mais »

Quais são as principais saias justas na comunicação?

No mundo atual, a comunicação precisa e efetiva é essencial para atingir os objetivos. Mas, infelizmente, tanto empresas quanto profissionais da comunicação ainda conseguem se meter em saias justas, por errarem feio em como transmitir a mensagem.

Não são poucos os casos de saias justas na comunicação. Se antigamente, anúncios eram somente veiculados em jornais impressos, revistas ou propagandas na televisão, por exemplo, o mundo mudou consideravelmente nas últimas décadas.

Atualmente, há muito mais engajamento através de anúncios e alguns termos ou posturas, que no passado eram aceitas, hoje não são mais.

Assim, para entendermos melhor as principais saias justas na comunicação, vamos primeiramente falar da importância de alguns pilares da comunicação, justamente para evitar resultados desastrosos.

Quer saber mais sobre isso? Veja aqui! Boa leitura.

Quais são os pilares da comunicação bem-sucedida?

Para atingir os objetivos da comunicação, é essencial respeitar alguns pilares. Veja quais são a seguir.

Saiba quem é seu público-alvo

O primeiro fator para ter uma comunicação bem-sucedida é saber exatamente quem é seu público-alvo.

Afinal, cada público-alvo tem interesses, expectativas e até uma forma de linguagem.

Usar gírias, por exemplo, pode até combinar para um público-alvo adolescente. Mas se sua comunicação for destinada a CEOs de empresas, esse recurso vai fazer você parecer infantil e certamente não despertará qualquer atenção.

Aqui outra dica importante: quanto mais personalizada for sua comunicação, maiores as chances de você atingir seus objetivos. Ou seja, não adianta fazer uma comunicação generalizada, sem saber para quem é. Dessa forma você não atingirá ninguém.

Portanto, saber para quem sua comunicação se destina é o primeiro passo para ter sucesso.

Não minta

Outro pilar da comunicação bem-sucedida é apresentar fatos e dados reais ao seu público. Para começar, se você pensa em uma linguagem persuasiva, não pode se basear em mentiras ou dados falsos.

Por isso, é importante fazer uma pesquisa de mercado e se basear em dados de instituições sérias de pesquisa. E se você usar dados de outras instituições, não esqueça de fornecer as referências e fornecer os devidos créditos.

Quando você usa dados falsos, ou inventa coisas irreais, sua credibilidade posta a prova. O mesmo acontece com plágio, quando você copia o que já foi escrito por outra pessoa e não dá o devido crédito.

Tanto inventar informações, usar dados falsos ou plagiar faz com que sua comunicação não seja verdadeira. E í, com isso, você também não atinge bons resultados.

Seja claro e objetivo

No mundo de hoje tudo é muito rápido. Portanto, as pessoas não têm paciência para enrolações. Assim, se você deseja transmitir uma mensagem ou um conteúdo informativo, seja claro e objetivo.

Como usar os gatilhos mentais na comunicação?

Os gatilhos mentais são técnicas aplicadas à comunicação e também à publicidade e que podem ser definidos como facilitadores para o cérebro, com o objetivo de uma tomada de decisão.

Embora os gatilhos mentais sejam amplamente utilizados na atualidade, é importante você saber quais são eles e não abusar. Afinal, você quer que sua mensagem seja transmitida de maneira adequada e não que haja confusão ao final.

Alguns exemplos de gatilhos mentais são: reciprocidade, compromisso e coerência, aprovação social, afeição, autoridade e escassez. Vamos falar brevemente sobre cada um deles.

Reciprocidade

Significa você oferecer algo em troca da ação desejada. Um bom exemplo é quando a Netflix, por exemplo, oferece 30 dias grátis de experimentação do seu pacote, mas em troca você preenche seus dados.

Compromisso e coerência

Seja coerente na mensagem que você quer passar. Além disso, tenha o compromisso de arcar com as ofertas ou propostas, da maneira que você as oferece.

Aprovação social

Caso sua comunicação seja em vendas, seu produto já foi testado e aprovado por quantos clientes? Ninguém gosta de ser o primeiro a testar algo. Assim, deixe claro como seu produto já teve sucesso.

Afeição

Através da afeição, você consegue traçar uma conexão com quem está recebendo sua mensagem.

Autoridade

Por que não trazer uma pessoa especialista em determinado assunto para falar justamente sobre ele?

A autoridade é um dos gatilhos mentais mais utilizados, justamente porque quem fala sobre um assunto, quando se é um nome experiente no ramo, deve saber tudo a ser transmitido.

Escassez

Por último, a escassez é amplamente utilizada, na comunicação visual por exemplo, que aquelas são as últimas unidades de um produto. Ou seja, você está informando que seu produto é exclusivo, para poucas pessoas.

Para quem recebe essa informação, há a sensação imediata de aproveitar aquela oportunidade e comprar o produto.

Note que todos os gatilhos mentais são utilizados em diferentes formas de comunicação. Mas, conforme já dissemos, não abuse.

E nesse caso, é importante tomar cuidado em utilizar uma forma de comunicação não violenta, para evitar que a mensagem seja perdida pela forma agressiva ao utilizar o gatilho.

Emoções, exemplos e ganchos para fatos atuais

Além de todos os pilares que já descrevemos para uma comunicação bem-sucedida, um último fator é saber utilizar emoções, exemplos e traçar ganchos para fatos atuais.

Dessa forma, sua comunicação ficará rica, atingindo seus objetivos.

Como acontece as saias justas na comunicação?

Agora que já falamos tudo que uma comunicação bem-sucedida deve ter, vamos falar especificamente de saias justas.

Assim, vamos listar alguns erros que empresas cometem em seus processos de comunicação e quais foram os resultados, para você não cometer os mesmos erros.

Torcida do São Paulo Futebol Clube e Locaweb

Em 2010, a Locaweb assinou um contrato de patrocínio com o São Paulo Futebol Clube, válido por dois jogos. O uniforme do clube teria a marca da Locaweb nas mangas durante esses dois jogos.

Mas o diretor comercial da Locaweb na época, corintiano fanático, resolveu escrever twittes xingando a torcida do São Paulo, durante um jogo contra o Corinthians e ainda citando a empresa, visto que as mensagens terminavam com “Aqui é Locaweb”.

Resultado: a torcida do São Paulo reagiu negativamente a isso, a empresa teve que se desculpar publicamente e o diretor comercial foi demitido.

Lição: tome cuidado ao associar a empresa a gostos pessoais, sobretudo se você pretende xingar quem não torce pelo mesmo time que você.

Publicidade estimulando sexo

Uma campanha publicitária da marca de preservativos Prudence anunciava a “dieta do sexo”, em 2013, na qual afirmava que o ato sexual gastava bem mais calorias do que outras atividades.

Resultado: O Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária suspendeu a peça, por entender que esse trecho tinha estímulo à violência sexual.

Comunicação machista

O machismo também é outra saia justa em comunicações publicitárias. Em 2012, a rede de varejo Marisa lançou uma campanha em que uma mulher conversava com legumes e depois era admirada por homens.

Com isso, a peça gerou muito desgosto às mulheres e foi retirada também do ar.

Lembre-se de que atualmente a comunicação não pode ser machista, misógina ou apresentar preconceito de nenhuma forma. Essas são questões importantes a serem evitadas na comunicação.

 

Nosso blog

Últimas postagens

A resiliência e a oratória

A resiliência é a capacidade de uma pessoa enfrentar adversidades, superar situações de estresse, traumas, tragédias, crises ou problemas, e se recuperar de forma saudável

Ler mais »

Plano de treinamento corporativo

O plano de treinamento corporativo é diretamente ligado aos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento dos funcionários, assim como às estratégias e recursos necessários para atingi-los.

Ler mais »