Quando permitir perguntas nas apresentações?

Durante uma apresentação em público, é mais do que natural que surjam dúvidas ou questionamentos sobre aquilo que estão ouvindo. Afinal de contas, é possível que aquela seja a primeira vez que o ouvinte ouve falar sobre o assunto.

Imagine, então, que você acaba de receber uma informação nova e importante, mas que não a entendeu completamente: o que você faria?

Certamente, você desejaria tirar essa dúvida do seu caminho de aprendizado, não é mesmo?

O momento de dúvidas e de abrir perguntas durante as apresentações é extremamente importante para que a mensagem que o comunicador deseja passar chegue por completo ao seu público!

No entanto, muitas dúvidas cercam esse momento tão necessário: quando deve acontecer? Eu preciso abrir para perguntas sempre? As perguntas são importantes mesmo?

Para esclarecer completamente as suas dúvidas, preparamos um artigo completo sobre esse assunto que pode gerar um pouco de confusão aos comunicadores, tanto iniciantes quanto os com mais experiência.

Leia o artigo na íntegra e boa leitura!

Primeiramente, eu preciso mesmo abrir para perguntas?

Um dos aspectos mais básicos e elementares da comunicação é a troca e o diálogo entre as pessoas.

Ainda que seja uma apresentação sua, esse momento não deve ser unilateral. Muitas vezes, a participação do público agrega um valor tremendo à sua fala e pode ajudar a aumentar a autoridade que você tem sobre o assunto em questão.

O orador precisa, acima de tudo, saber comunicar e se comunicar com os outros. Portanto, é imprescindível que esse momento aconteça durante as suas apresentações e palestras.

Existe alguma forma de amenizar as dúvidas do público?

Como falado acima, dúvidas são coisas extremamente naturais e normais durante uma apresentação, especialmente se o assunto abordado for algo muito novo ou pouco explorado pelo seu público ainda.

Por exemplo: na primeira vez em que você ouviu falar sobre os conceitos de física ou química, é bem provável que a ideia não tenha ficado tão clara para você.

Isso se deve ao fato de ser um assunto novo, algo que você normalmente não aprenderia naturalmente ou com a experiência da vida.

Sendo assim, é inevitável que as dúvidas apareçam em apresentações e palestras. Mas é possível reduzi-las e tornar o entendimento do público mais fácil.

Separamos algumas dicas que provavelmente irão te ajudar. Acompanhe a seguir:

Tenha um roteiro da sua fala

Para alguns, preparar um roteiro com o que será falado pode parecer óbvio ou desnecessário, mas ele pode ser o grande diferencial entre uma apresentação ruim e uma apresentação incrível.

Ter um roteiro não significa que você seguirá tudo aquilo que está escrito e programado à risca, mas serve para orientá-lo diante do que precisa ser falado.

Com um roteiro ou uma guia em mãos, o orador tem uma clara ideia daquilo que é essencial em sua apresentação e que não pode ficar de fora, além de nortear o caminho a ser seguido e garantir que ele saiba o que ainda precisa ser falado.

Domine o assunto

Ainda que o orador tenha um roteiro, um guia ou uma apresentação de slides, é preciso que ele domine bem o assunto que irá falar.

O público entende o caminho que o orador toma quando ele usa um roteiro, mas até mesmo uma guia se torna obsoleta caso o assunto não esteja na ponta da língua de quem está apresentando.

Tente manter a calma

Em várias situações, a ansiedade e o nervosismo nos atrapalham e muito na hora de apresentar ideias. Isso fica ainda mais potencializado quando algum dos pontos citados acima (ou os dois) não acontece.

Portanto, controlar a ansiedade é essencial para o sucesso da sua apresentação.

Para isso, existem diversas técnicas de controle de nervosismo usando a respiração. Tente sempre usá-las em momentos de tensão ou quando surgir aquele famoso medo de falar em público.

Sua fala precisa de prática

Pode parecer bobo, mas é essencial que o orador pratique a sua fala. E quando falamos em “fala”, não é apenas o conteúdo ou a voz que importa, mas toda a linguagem não-verbal envolvida.

Tudo precisa estar em harmonia e apenas na prática é que o orador é capaz de encontrar a melhor forma possível de transmitir a mensagem desejada.

Portanto, manter contato visual com o público, uma boa postura, gesticular de forma harmoniosa com as expressões faciais e o conteúdo… Tudo isso é a comunicação não-verbal, que é tão importante quanto o que você comunica verbalmente.

Esses pontos ficam mais alinhados conforme o comunicador for treinando: na frente do espelho, usando um roteiro, se percebendo e identificando o que pode ser melhorado.

Então, quando eu devo permitir que façam perguntas nas apresentações e palestras?

Acolher perguntas como sempre bem-vindas nas suas apresentações, isso já está claro. Mas não significa que o público poderá interromper a apresentação para perguntar alguma coisa.

Nesse momento, duas coisas precisam ser feitas:

  1. O orador precisa se programar para o momento de perguntas e dúvidas. É essencial que essa parte esteja na sua programação, para que o tempo estimado não se exceda ou que o público fique sem respostas.
  2. Tendo a programação montada, o comunicador precisa deixar claro para os ouvintes que haverá, sim, um momento para dúvidas e perguntas. Dessa forma, o público saberá quando perguntar e não irá interromper constantemente.

É importante que esses momentos sejam colocados de maneira estratégica: sempre ao fim de uma pauta mais densa ou quando o tópico seguinte não tiver muita ligação com o anterior.

Lógico, sabemos que imprevistos acontecem e que seus ouvintes não precisam obedecer ao seu cronograma. Portanto, esteja aberto(a) a mudanças pequenas nessa programação, caso seja necessário.

Por exemplo: digamos que você percebeu que ficaram muitas dúvidas sobre um assunto que você não tinha imaginado que causaria tantas questões. Neste caso, realoque um tempo para sanar essas dúvidas.

É importante que o público se sinta ouvido, ao mesmo tempo em que você precisará organizar o tempo. Dessa forma, responda de forma clara e mais objetiva possível.

Gostou do artigo de hoje? Tirou todas as dúvidas sobre as perguntas nas apresentações?