Como fazer bons discursos de agradecimento?

Olá, Speaker!

Os discursos de agradecimento são muito comuns nessa época do ano, não é verdade? Afinal, gestores e colaboradores aproveitam o fim do ano e a proximidade com as festas para confraternizar e tentar encerrar este ciclo da melhor maneira possível.

Se você é um gestor, provavelmente terá que preparar um discurso de encerramento, no qual possivelmente queira agradecer aos seus colaboradores e clientes. Mas como fazer um bom discurso de agradecimento? E como fazer isso sem cair na mesmice, repetindo as mesmas técnicas dos anos anteriores?

Na nossa conversa de hoje, decidi abordar esse tema para que você, querido Speaker, possa aproveitar ao máximo o seu discurso e utilizar esse momento para fortalecer o vínculo com a sua equipe de trabalho e, desse modo, já ir se preparando para o próximo ano. Confira!

– Reflita sobre o seu público-alvo

Ok, já sabemos que o seu discurso será direcionado para os colaboradores da empresa. Mas quais serão esses colaboradores? Serão outros gestores, que trabalham diretamente com você? Serão seus liderados diretos? Ou – o que acaba sendo mais recorrente – serão todos os profissionais da empresa, incluindo aqueles com os quais você não tem uma relação tão direta?

Fazer essa pergunta e refletir sobre o público-alvo do seu discurso é importantíssimo, afinal, dessa reflexão, deverão ser definidos outros aspectos da sua fala, incluindo o conteúdo e a linguagem usada por você.

Se o seu discurso será para todos os colaboradores da empresa, escolher uma linguagem pouco acessível (muito técnica, por exemplo) será um erro, já que nem todos terão o mesmo know-how. Por outro lado, se o seu público será mais limitado, você deverá pensar em um conteúdo que dialogue diretamente com as pessoas que estarão presentes.

Em suma: o primeiro passo para começar a planejar o seu discurso é levar em consideração o público para o qual você irá falar, ok?

– Reflita sobre as características do evento

Pensar no contexto sempre é um cuidado importante na hora de planejar um discurso. Levar em consideração alguns fatores, tais como o grau de formalidade, é uma forma de minimizar riscos e garantir que a sua fala esteja de acordo com o ambiente e com as expectativas dos presentes.

Refletir sobre o grau de formalidade que você dará para a sua fala tem uma importância enorme, especialmente se você for o líder da empresa. Caso utilize um tom excessivamente formal – e que não esteja conforme a ocasião na qual apresentará o seu discurso –, há grandes chances de perder a atenção das pessoas logo nos primeiros minutos da sua fala.

Aliás, pensar no evento e no público (como vimos no tópico anterior) é uma forma de elaborar estratégias para reter a atenção dos presentes e, mais que isso, fazer com que as pessoas escutem e prestem atenção ao seu discurso porque realmente se interessam pelo que você está dizendo – e não apenas porque você é o líder.

– Defina (e lapide) o conteúdo da sua fala

Depois de refletir sobre o contexto e o público, é hora de definir o conteúdo abordado no seu discurso. O primeiro passo é estabelecer o tema central e, a partir dele, planejar os subtópicos que farão parte da sua fala.

É importante garantir uma ordem, uma progressão lógica, entre todos os tópicos que irá abordar. Afinal, os discursos de agradecimento também devem ser organizados e bem-estruturados, especialmente se serão ditos por um gestor, que tem um papel e uma influência enormes dentro da organização.

Na hora de pensar no conteúdo, trate de aproveitar o discurso da melhor maneira, incluindo informações que podem ser úteis para os seus liderados e que tragam um “algo mais” para a sua fala.

Lembre-se: para que um discurso seja, de fato, inspirador, o conteúdo deve ser interessante!

– Quer fazer agradecimentos nominais? Tenha cuidado!

Ainda sobre o conteúdo do seu discurso, é importantíssimo chamar a atenção para um aspecto muito comum nesse tipo de fala: decidir agradecer as pessoas individualmente.

Se optar por fazer isso, tenha muito cuidado, por dois motivos principais. O primeiro deles é o risco de esquecer de agradecer um ou mais colaboradores, o que pode gerar um mal-estar dentro da sua equipe. Caso decida agradecer às pessoas de forma nominal (agradecendo uma a uma), garanta que todos os nomes estejam incluídos.

O segundo motivo pelo qual é preciso estar atento nesse tipo de decisão é o tempo da sua fala. Decidir citar todos os colaboradores de forma nominal pode tornar o seu discurso muito massivo e pouco interessante. Se essa lista de nomes for extensa, isso significará um quebre importante na sua narrativa, prejudicando bastante o seu discurso.

Por tudo isso, agradecimentos gerais costumam ser menos arriscados e mais eficientes.

– Utilize a emoção como uma aliada

Discursos de fim de ano e especialmente os discursos de agradecimento têm a particularidade de serem emotivos. Sabendo que a emoção pode ser uma grande aliada nos discursos, é preciso pensar em como e quando utilizá-la em sua fala.

Para que um discurso seja mesmo emotivo, a sinceridade é um fator importante. Afinal, o público (e principalmente um público que convive com você diariamente) identifica facilmente quando uma tentativa de trazer emotividade a uma fala é ou não genuína.

No seu discurso, pense pelo que você se sente grato realmente. Ser autêntico é um passo importante para dar emoção ao que está dizendo!

Nesse sentido, é importante ressaltar que existem estratégias para dar mais emoção a um discurso, sendo que uma das principais é a Storytelling ou, em outras palavras, contar uma história.

– Atenção à sua linguagem não-verbal

A linguagem não-verbal tem uma importância enorme em todos os tipos de situação de exposição de fala. Nos discursos de agradecimento, isso não é diferente. Justamente pelo grau de emotividade que possui, esse tipo de discurso é fortemente impactado pela dinâmica não-falada do orador.

Por isso mesmo, pense em sua linguagem não-verbal, em como irá utilizar os seus gestos e na importância de fazer contato visual com as pessoas. Da mesma forma, planejar o uso da sua voz, escolhendo uma velocidade condizente com o conteúdo e variando o tom de voz, é fundamental.

Outro aspecto que devemos citar é a expressividade. Discursos de fim de ano podem ser emotivos, descontraídos, inspiradores… Por isso, deixar de lado a máscara da neutralidade (tão comum no ambiente corporativo) e manter a harmonia entre conteúdo e suas expressões faciais é um cuidado importante.

 

Lembre-se de tudo o que vimos neste artigo e aplique nos seus discursos de agradecimento! Boa sorte!

Clique para dar sua nota!
Avaliações: - Avaliação média:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *