Suas apresentações estão densas e repletas de dados? Conheça o datastorytelling e impulsione a sua fala!  

Olá, Speaker!

A análise estatística e o tratamento de dados são algumas das competências mais buscadas pelas empresas, já que números e tendências acabam sendo fatores determinantes para a tomada de decisões e podem interferir diretamente no sucesso ou no insucesso de projetos.

Mas engana-se quem pensa que lidar com dados se resume a apenas ter, em mãos, números relativos a um contexto determinado. Mais que isso, é preciso saber interpretar esses dados e, ao mesmo tempo, poder expressá-los de forma acessível aos demais.

Nessa etapa – a de expressar dados e suas interpretações –, a comunicação é essencial. Afinal, para isso, conseguir ter uma fala atrativa, acessível e profissional é o grande desafio.

A técnica do datastorytelling é uma ferramenta que transforma e impulsiona exposições orais, especialmente aquelas nas quais há um denso conteúdo, pautado em números, estatísticas e dados. O que é essa técnica? E como aplicá-la? É o que veremos neste artigo. Siga a leitura e conheça essa importante estratégia para as suas próximas apresentações!

Datastorytelling: o que é?

Para entendermos o que é o datastorytelling, é importante saber que essa técnica vem de outra, da qual falamos com frequência aqui no blog: a storytelling. Storytelling é, basicamente, contar uma história.

Em apresentações em público, assim como outras situações de exposição de fala, contar uma história significa brindar um conteúdo muito mais interessante e inspirador para o público. Ao contar uma experiência própria ou de outros, por exemplo, o que se logra é gerar muito mais empatia, além de ser uma forma eficaz de organização de pensamento e estruturação do conteúdo.

O datastorytelling, por sua vez, é a aplicação das técnicas da storytelling, mas direcionadas para conteúdos com grande número de dados, estatísticas e números. Em outras palavras, nas exposições orais cujo tema central é a interpretação de dados, essa ferramenta altera significativamente a percepção das pessoas, tornando a análise numérica muito mais acessível e palpável.

O datastorytelling, quando aplicado, impulsiona a capacidade de interpretação de dados, especialmente formulando, através deles, algumas narrativas, inserindo-as em um contexto próximo à audiência e utilizando tais dados para alterar a percepção das pessoas sobre o que está sendo dito e apresentado pelo comunicador.

De forma resumida, o datastorytelling é a união entre dois âmbitos diferentes, mas relacionados: a comunicação e a análise de dados. Por isso mesmo, essa técnica não é sinônimo do chamado data visualization (visualização de dados), já que, muito além de mostrar dados, conta-se uma história, uma narrativa, a partir deles, munindo-os de sentido.

Por que aplicar o datastorytelling em suas próximas apresentações?

Os números e estatísticas são importantíssimos. Em alguns contextos, como, por exemplo, nos balanços de rendimento de um setor ou de uma empresa, eles são o foco principal de uma apresentação. No entanto, ao final de uma exposição oral, as pessoas tendem a se lembrar MUITO mais das histórias que ouviram do que dos dados propriamente ditos.

Assim sendo, para que sejam compreendidos e assimilados pela audiência da forma mais eficaz possível, é indispensável, ao comunicador, a habilidade de apresentar estatísticas e números adequadamente, conseguindo inseri-los em contextos palpáveis e, mais que isso, criando narrativas interessantes e coerentes a partir deles.

Ler, analisar e argumentar com dados são três competências que impactam positivamente a performance dos profissionais que as utilizam. E, vale lembrar: não são importantes apenas para quem lida com a análise e interpretação de dados diretamente e recorrentemente, mas para todos, independente da área na qual atuam.

Para utilizar, portanto, o datastorytelling em suas próximas apresentações, alguns passos são importantes, sendo eles:

  1. A seleção dos dados utilizados, atentando-se para que o volume de estatísticas e números não seja excessivo. Caso contrário, tais números não terão todo o impacto que poderiam ter, caso tivessem sido apresentados de uma forma mais seletiva e organizada.

 

  1. Atente-se para a parte visual: o uso de slides é um tema polêmico, quando pensamos em apresentações em público. Há aqueles que abominam completamente o seu uso. No entanto, em apresentações cujos conteúdos têm muitos dados, slides podem ser ótimos aliados. Além de organizar melhor a apresentação desses números, tem, ainda, um reforço visual importante.

 

  1. Personifique dados e informações muito técnicas. Em outras palavras, aplique o datastorytelling propriamente dito. Utilizar a experiência de algum personagem para contar uma história ou mesmo compartilhar alguma experiência pessoal, se for o caso, são opções interessantes. De uma forma ou de outra, não devemos esquecer de que as pessoas tendem a se sensibilizar mais quando há um contexto por trás dos números, muito mais tangível e próximo da realidade que possuem.

 

  1. Saiba usar a sua linguagem não-verbal: a forma como você se comporta no palco, o uso da voz, seus gestos e sua postura também interferem na percepção que a audiência terá e do quão bem compreenderá o que foi dito. Nas apresentações com alto conteúdo numérico e estatístico, há algo sobre o uso da voz que precisa ser destacado: a necessidade de usar os silêncios. Dar um tempo (consciente) para que o público capte e interiorize o que foi dito, antes de que novos dados sejam apresentados é fundamental.

 

Para desenvolver e aprimorar as técnicas de datastorytelling e de storytelling, um treinamento em oratória é um diferencial. Entre em contato com a gente para conhecer as modalidades dos nossos cursos e veja aquela que melhor atende às suas necessidades!

Avalie este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *