Quais as melhores estratégias para a gestão de conflitos? E qual é o papel da comunicação?

Olá, Speaker!

Conflitos de ideias são, muitíssimas vezes, propulsores para grandes projetos de sucesso. Aliás, se nos debruçarmos sobre os produtos ou serviços de maior relevância hoje em dia, certamente veremos que grande parte surgiu do conflito de ideias, da tentativa de resolver um problema de uma forma diferente.

Dentro de uma equipe de trabalho, a figura do gestor é de suma importância para garantir que os conflitos permaneçam nesse campo de ideias e opiniões. Ao contrário, podem evoluir (negativamente) e se transformar em confrontos – que além de não contribuírem em nada para o grupo, prejudicam o ambiente de trabalho e o rendimento dos profissionais que nele atuam.

A gestão de conflitos é, portanto, uma das grandes responsabilidades dos gestores. Por isso mesmo, esse tema tem sido amplamente debatido, no intuito de encontrar métodos, estratégias e soluções que possam auxiliar gestores na execução dessa tarefa em particular – tão importante para o crescimento de uma empresa.

No nosso artigo de hoje, você poderá se informar melhor sobre esse tema e estar por dentro das técnicas que consideramos mais úteis para lidar com conflitos nas equipes de trabalho. Boa leitura!

No que consiste a gestão de conflitos?

Gestão de conflitos nada mais é do que o conjunto de estratégias cujo propósito é o de administrar e controlar conflitos dentro de uma equipe de trabalho e de uma empresa como um todo.

Nesse sentido, inclui tarefas como, por exemplo, mediar impasses entre pessoas ou setores, garantindo que não se tornem confrontos pessoais; e administrar conflitos de ideias a fim de que tais conflitos contribuam para o surgimento de melhores soluções, capazes de criar produtos ou serviços muito melhores.

Ainda que, em algumas empresas, existam profissionais cuja função é exclusivamente gerenciar conflitos, essa responsabilidade também cabe ao gestor.

Quais são as causas mais comuns para os conflitos dentro de uma empresa?

Todas as empresas têm conflitos internos, independentemente de quão positivo seja o ambiente de trabalho. Afinal, onde há um grupo de pessoas, há diversidade de opiniões, conhecimentos e ideias. E, como vimos até aqui, isso é algo positivo e esses conflitos acabam sendo propulsores de rendimento, desde que gerenciados da melhor forma.

Tanto é assim que, hoje em dia, vem crescendo o número de equipes multidisciplinares, nas quais a variedade de perfis profissionais contribui e muito para a criação de conflitos positivos, impactando também positivamente a execução de projetos.

No entanto, há situações negativas que geram conflitos – e conflitos que nem sempre terão um papel positivo para a empresa. Entre tais situações, podemos destacar, por exemplo:

– Mudanças bruscas no funcionamento da empresa;

– Pouca clareza para estabelecer metas;

– Dificuldade de cumprir prazos;

– Má distribuição de recursos entre setores;

– Ruídos na comunicação interna;

– Excesso de regras restritivas;

– Falta de diálogo eficaz entre líderes e liderados.

Quais são as melhores estratégias para gerenciar conflitos?

Já falamos sobre algumas das principais causas de conflitos dentro de uma empresa e no que consiste a gestão de tais conflitos. Mas quais são as melhores estratégias para lidar com conflitos na equipe?

  1. Evite suposições, apurando os problemas

É importantíssimo evitar tomar decisões baseando-se em rumores ou suposições. Ao contrário de contribuir para o gerenciamento de conflitos, fazer isso pode transformar esses conflitos em confrontos, criando situações muito mais complexas e de difícil solução.

Como gestor de uma empresa ou como líder de uma equipe, é imprescindível apurar os fatos antes de tomar qualquer decisão. Ao fazer isso, evitando suposições, é muito mais fácil conhecer a realidade da equipe, identificar a existência de problemas e administrar os conflitos da melhor forma possível.

  1. Identifique a raiz desses problemas

Já falamos que nem sempre conflitos significam problemas. Na verdade, em muitas das vezes, conflitos são motores para a evolução de uma equipe e para a criação de soluções muito melhores.

No entanto, se, na fase de apuração da qual falamos no tópico anterior, forem identificados problemas, é de suma importância conhecer suas raízes. Ao conhecer as causas de tais problemas, pode-se romper com padrões negativos e começar a pensar em mudanças para solucioná-los.

  1. Proponha soluções. E faça isso em conjunto com seus liderados!

O gestor é um facilitador na gestão de conflitos. Isso quer dizer que não cabe a ele ou ela tomar para si a responsabilidade de resolver todos os conflitos de sua equipe. Ou seja: é preciso não se esquecer de que gerenciar não é o mesmo que solucionar.

Quando falamos em gerenciamento de conflitos, a ideia é mediar tais conflitos, sendo uma figura chave para encontrar soluções e garantir que as estratégias sejam colocadas em prática pela equipe.

Dessa forma, o caminho para encontrar soluções é compartilhado entre o gestor e seus liderados. Proponha um momento de diálogo (um brainstorm costuma funcionar muito bem), no qual todos possam contribuir com ideias.

Impor mais regras – sem nenhum tipo de diálogo – não solucionará conflitos. Ao contrário, poderá criar mais deles e ocasionar em confrontos.

  1. Incentive feedbacks diretos

Feedbacks diretos são um poderoso antídoto para evitar conflitos e confrontos. Como gestor, procure dar feedbacks assertivos para os seus liderados e incentive que diretores de equipes ou setores façam o mesmo.

O diálogo direto e pessoal minimiza problemas e informações distorcidas. Além de fortalecerem os vínculos entre os profissionais, são uma ferramenta altamente eficaz para impulsionar competências e lapidar aspectos que ainda demandam aprimoramento.

  1. Diminua os ruídos da comunicação interna da equipe

A comunicação tem um papel essencial na prevenção de confrontos e na gestão de conflitos dentro de uma empresa (e em qualquer outro tipo de organização). Por isso mesmo, procure diminuir ruídos na comunicação interna, implementando formas claras e eficientes para o diálogo corporativo.

Alguns cuidados para evitar esses ruídos são:

– Melhorar os feedbacks;

– Definir uma plataforma única de diálogo (Será o e-mail? Será uma rede social?);

– Impulsionar a comunicação interpessoal de cada colaborador;

– Como gestor, investir nas próprias habilidades de comunicação, sendo cada vez mais assertivo;

 

Não é à toa que a comunicação tem tanto protagonismo hoje em dia. Com tudo o que se vive e se vê, é fácil perceber o quanto o sucesso de um empreendimento está relacionado à comunicação dos profissionais que dele fazem parte. Pense nisso!

5 (100%) 1 vote[s]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *