Você tem medo de ficar online? Veja possíveis razões e saiba como lidar!

Olá, Speaker!

Você é daquelas pessoas que tem deixado o celular em modo avião muitas vezes ao dia? Para alguns, essa é uma estratégia para se “desligar” por um tempo, mas, em outras pessoas, é um reflexo de um medo bem específico: ficar online.

O medo de ficar online ou a fobia de ficar online é algo relativamente recente. Ou, pelo menos, tem ganhado mais destaque nos últimos tempos porque passou a ser cada vez mais comum.

De onde vem esse medo? Como lidar com ele e minimizar seus efeitos nas relações sociais e de trabalho?

É o que falo na nossa conversa de hoje. Boa leitura, Speaker!

De onde vem o medo de ficar online?

Você já ouviu falar sobre o FOMO? FOMO é a sigla para “Fear of missing out”, que, no nosso idioma, pode ser traduzido como o “medo de ficar de fora”, isto é, de ficar offline.

Em outras palavras, o FOMO seria uma das consequências da grande dependência que temos em relação às nossas redes sociais, e-mails e tudo o que está incluído no digital. É o medo de perder a atualização de amigos ou de fazer postagens, por exemplo.

Agora, surgiu outro medo, contrário a esse: o de estar online. As três razões que mais vêm sendo atribuídas a esse medo são:

  1. O medo de cometer alguma gafe em reuniões e eventos online

Em 2020, não foram poucas as histórias que viralizaram nas redes sociais: profissionais sendo interrompidos, pessoas passando ao fundo da tela de pijamas (ou em situações piores), palavrões que escaparam por quem esqueceu o microfone ligado e tantas outras.

A princípio, até tinha algo de bom humor nisso tudo. Com o tempo, o medo de cometer uma dessas gafes, de viralizar ou, principalmente, ferir a imagem profissional acabou gerando essa fobia ao online para muitas pessoas.

– Mensagens e ligações de trabalho fora do horário comercial

O home office é algo novo para muitas empresas e seus colaboradores. Além de toda a adaptação com a parte técnica, há, também uma grande dificuldade para os novatos nessa modalidade: estabelecer limites.

Checar e-mails da empresa fora do horário comercial, atender ligações, receber mensagens em perfis pessoais e tantos outros problemas do home office acentuam o medo de ficar online.

– Grande volume de notícias negativas

Por fim, mas não menos importante, está o medo de ser bombardeado por notícias negativas, principalmente aquelas ligadas à pandemia. Esse ponto em particular tem uma complexidade.

Por um lado, está a enorme importância de se manter informado em tempos como os de agora. Por outro, está a ansiedade que pode ser acentuada ao acumularmos notícias negativas em nossos feeds todos os dias.

Como lidar com tudo isso? Veja a seguir.

5 dicas práticas para lidar com o medo de ficar online

O protagonismo da comunicação digital é uma das tendências contemporâneas. Por isso, se adaptar ao online e aprender a lidar com esse medo são ações essenciais para qualquer profissional.

Se você vem sentindo o medo de ficar online ou se acha que isso pode acontecer com você no futuro, comece a aplicar algumas técnicas:

Domine as plataformas

Existem muitas plataformas e ferramentas que vêm sendo utilizadas pelas empresas, seja para organizar tarefas e projetos ou para as reuniões online. Grande parte do medo do digital nasce da insegurança em relação a esse universo.

Logo, quanto mais você se informar sobre plataformas, ferramentas e recursos, mais se sentirá confiante para lidar com os desafios do home office e do digital como um todo.

Aprimore a sua comunicação digital

O online tem suas etiquetas, como qualquer outro ambiente de trabalho. Aliás, grande parte das gafes que viralizou nos últimos meses aconteceu com pessoas que desrespeitaram essas tais etiquetas.

Conhecer essa nova forma de agir e trabalhar, saber como se comunicar e como ser assertivo no ambiente digital também interfere na autoconfiança e na imagem. Como eu disse: mais conhecimento significa menos medo.

Estabeleça um horário de trabalho

Trabalhar em casa pode ser difícil: acontece a “tentação” de continuar trabalhando mesmo depois do horário comercial. Sem falar, ainda, que muitas demandas – e-mails, mensagens e notificações – também chegam fora desse horário.

Com o tempo, é provável que os profissionais se sintam sobrecarregados e passem a desenvolver uma certa resistência a ficar online e lidar com assuntos de trabalho. Por isso, é fundamental estabelecer e respeitar uma rotina bem definida.

Tenha um tempo de qualidade offline

Trabalhamos online. Descansamos checando as nossas redes sociais ou assistindo a algo. Em outras palavras, estamos quase o dia todo com os olhos fixos numa tela, seja por trabalho ou por prazer.

Ter alguma atividade longe dessas telas contribui para lidar com o medo e a sobrecarga do online. Se você não tem esse tempo off, experimente inclui-lo no seu dia a dia e veja as diferenças na sua qualidade de vida.

Priorize informações

Nunca foi tão fácil receber notícias e informações sobre qualquer assunto. Poucos cliques e já somos bombardeados de dados, opiniões, novidades. Nos últimos meses, infelizmente, as notícias ruins se intensificaram e isso também afeta a relação com o digital.

Uma das maneiras de lidar com isso é, justamente, reavaliando o quanto você se informa e o como você se informa. Priorizar fontes seguras e se policiar para não estar o tempo todo mergulhado em notícias negativas é importante.

 

Todas essas ações estão intimamente ligadas à comunicação digital e seus desafios. Desafios esses que, além do medo, trazem uma série de inseguranças e receios para os profissionais.

Se você tem dúvidas sobre comunicação digital, fale comigo! Vou ficar feliz em ajudar!